maio 28, 2003

Apareceu a margarida sumida!

Andei sumida, por que meu computador morreu... o HD pediu epitáfio!!!
Por isso fiquei alguns dias off line!
Mas graças ao meu amado amigo Volneizinho, estou de volta!! Gente fina esse menino!
Como ele mesmo disse, nesses dias que fiquei sem computador, sem net... tive uma vida normal, deixei de visitar o submarino e fui até uma livraria de verdade, mais alguns dias eu iria no cinema!!! rs rs rs rs
Mas isso é a pura verdade...
Redescobri q ainda existe tv ( os canais a cabo , é claro)... passei os dias assistindo meus documentários que tanto gosto, programas de fotografia que tanto babo, entre outras coisas... gastei o meu dedo no controle remoto, mas tive até algumas surpresas agradáveis!!
Além disso cai na real que estou ferrada na minha pós graduação, que tenho que estudar muito mais do que pensava!
Fiz um curso de Gestão de resíduos sólidos na indústria e estabelecimentos de saúde, e adorei, super cansativo... mas muito bom!!
Assisti algumas palestras bem legais... uma bem polêmica e engraçada do Emilio Pompeu, representante do Greenpeace-SP.
Enfim... aproveitei do mesmo jeito!!
Agora estou de volta, acabei perdendo muitos endereços de blogs maravilhosos que ainda não tinha linkado, isso foi uma pena mesmo, agora não sei achar muitos deles... mas vou tentar!!!

maio 16, 2003

Escrevo ou Descrevo

Criando e trilhando novos caminhos a cada momento, explorando o pensamento. Como não achar perfeitas essas curvas que nos levam a criação de maneira tão sutil, observando novos sonhos se formarem, vendo um mundo simplificado e completo.
Novas idéias, idéias essas individuais, originais, que dispensa modelos prontos, interminável e infinita a maneira de se fazer real o mundo interior, que se propaga lenta e constantemente quando livre, vai além do descobrimento, além do falar e se manifesta no pensar. Somos a natureza consciente, mas cegos pelas nossas próprias crenças. Reconheço-me ao escrever cada vez mais, me manifesto em meio a palavras, isso vêem como um presente, uma chave do meu mundo interior. Como seria brilhante se meus sentimentos pudessem ser descritos com palavras ao invés de silêncio.
Esse turbilhão se reflete num sorriso sincero aceso em plena escuridão, em meio a novos caminhos, novas possibilidades. Passar ao mundo a possibilidade de felicidade, sem ser preciso de máscaras, sempre encontrar algo em meio aos desencontros!

maio 15, 2003

maio 11, 2003

maio 09, 2003



O Kali me surpreendeu super colocando o meu post (Faxina que não se vê) no Kálido Blog dele!!
Tenho achado bem diferente esse história de ter um blog, tenho recebido e-mail´s de e comentes mais carinhosos, com muitos elogios!
Fico muito feliz com isso, por que não sabia que poderia escrever algo que outras pessoas gostassem, achava que ninguém nunca ia ler isso aqui inclusive!
Tenho feito desse blog uma voz para o mundo, para mim, pois aqui coloco de tudo, tudo o que da na telha, o que sinto vontade, o que estou sentindo...
Essa aqui é uma terapia pra mim... aqui coloco tudo, mesmo que seja nas entre linhas!!
Agradeço a todos que aqui passam, que aqui deixam um pouquinho de vocês também!!
Um grande beijo a todos!!!


maio 06, 2003



Faxina que não se vê

Andava na estrada pegando migalhas de pão deixadas por João e Maria, mas não deixava de observar a paisagem que mudava ao longo do caminho e a cada mudança sempre achava que a paisagem nova tinha algo parecido com a outra, procurava sempre semelhanças entre elas, guardava sempre um pouquinho de todas as paisagens e de tudo que se podia ao longo do caminho, pois sempre pensava poderia perpetuar a tudo e a todos!!
O caminho... ahhh... esse não sabia se era o certo, bússola e mapas não tinha, mas tinha sempre um sorriso no rosto, paciência, tranqüilidade e muitas opiniões algumas até indesejadas!!
Por vezes chata, irritada, burra, por estar no caminho desconhecido, mas principalmente por estar olhando para o chão e ter esquecido da bela paisagem a sua volta!
O difícil caminho fazia sozinha, sem muita compreensão, mas procurando sempre compreender.
Pecados, vários! Talvez o maior deles seja pensar de mais em mistérios,principalmente mistério esse que demos o nome de Vida!

maio 04, 2003


UMA CAMPANHA - Ou Aquela Campanha Que Gostaríamos De Ver




Eu envergonho o Brasil quando voto naquele cidadão que só fez besteira em governos anteriores.
Eu envergonho o Brasil quando saio daqui e vou fazer besteira em outro país.
Eu envergonho o Brasil quando faço questão de parecer um estúpido ao me expressar em público.
Eu envergonho o Brasil quando implico com estrangeiros.
Eu envergonho o Brasil quando digo que sou branco;
Eu envergonho o Brasil quando digo que sou negro;
Eu envergonho o Brasil quando digo que sou índio e não brasileiro.
Eu envergonho o Brasil quando digo que sou infeliz de ter nascido em um país assim.
Eu envergonho o Brasil quando digo que tenho vergonha do Brasil.
Eu envergonho o Brasil quando na televisão sou considerado artista só por ter participado de um reality show.
Eu envergonho o Brasil quando não me importo com a política nacional.
Eu envergonho o Brasil quando viro o rosto para um irmão brasileiro como eu.
Eu envergonho o Brasil quando só faço o que os EUA, ou quaisquer outros países ditam.
Eu envergonho o Brasil quando omito, escondo, permito ou sou conivente ao crime e à corrupção.
Eu envergonho o Brasil quando simplesmente desacredito no governante do meu país por ele não ter instrução acadêmica.
Eu envergonho o Brasil quando sujo a imagem do país com minha postura negligente.
Eu envergonho o Brasil quando roubo os cofres públicos e assalto a contabilidade do Estado.
Eu envergonho o Brasil quando destruo o patrimônio ou mobiliário público.

Eu envergonho o Brasil quando vendo animais silvestres.
Eu envergonho o Brasil quando desrespeito a natureza.
Eu envergonho o Brasil quando maltrato qualquer animal.
Eu envergonho o Brasil quando de uma forma ou de outra empeço o direito e ir e vir de outro cidadão.
Eu envergonho o Brasil quando faço uma música vulgar.

Eu envergonho o Brasil quando...

Digam-me, gritantes, quando é que vocês envergonham o Brasil?

Roubei aqui