julho 15, 2003

AMIZADES HETEROSSEXUAIS

Alguém num dia de mau humor decretou: amor tem que ser heterossexual e amizade tem que ser homo: mulher com amiga mulher e homem com amigo homem. As mulheres preferem outras mulheres para dividirem suas receitas, fofocas e passeios no shopping e homens preferem outros homens para tratar de questões filosóficas como futebol, loiras e carros.

Confesse: essa introdução deixou você se sentindo com 200 anos de idade. A revolução sexual já atingiu as amizades também, e homem e mulher podem muito bem ser apenas bons amigos. Quem vai negar?

Muitos negam. Dizer que não existe amizade entre homem e mulher já virou um chavão, e o mundo das artes não contribui para mudar essa idéia fixa. Quase não se vê homens amigos de mulheres nas telas do cinema, nos poemas, nas letras de música. Ou somos amantes ou nada. No filme O Casamento de Meu Melhor Amigo, o personagem de Julia Roberts tinha dois leais escudeiros: um era uma paixão que ela pretendia reaver, o que já não dá para chamar de amizade, e o outro era gay. Aí pode.

Se um homem convida uma mulher para um bate-papo num bar, e apenas isso, bingo: é veado. É a única amizade que convence entre sexos opostos. As mulheres realmente se relacionam às maravilhas com homossexuais, até porque vivemos numa sociedade machista, onde muitos homens pensam que ter um amigo gay depõe contra sua virilidade. Sendo assim, os homossexuais identificam-se mais com a sensibilidade das amigas do que com a insegurança dos bofes.

Mas existe, sim, amizade entre homem e mulher, sem segundas nem terceiras intenções. O sexo ronda nossas cabeças, mas nem sempre se impõe. Um homem pode conhecer uma mulher no local de trabalho, na sala de aula ou numa excursão e virar companheiro de boas risadas, sem meter a cama no assunto. Não precisam ficar grudados dia e noite para estabelecerem um relacionamento de confiança e afinidades, e o sentimento pode sobreviver com a troca de idéias em vez de troca de beijos.

Basta de tabus nesse mundo já tão careta. Homens e mulheres podem e devem experimentar relacionamentos sem malícia, ir juntos ao cinema sem agarrar-se no meio do filme e dançar a noite inteira sem pintar um clima. Podem ir juntos numa livraria, num estádio de futebol, num show de rock. Será igual a uma amizade com alguém do mesmo sexo? Não, e é justamente aí que está o seu fascínio. Eu tenho excelentes amigos homens e não abro mão deles. Só não me peçam para ser amiga do George Clooney.

Martha Medeiros é autora de vários livros, entre eles Geração Bivolt, de 1995 e Topless, de 1997.

Gosto da forma simples que ela apresenta vários temas e sempre vou postar aqui seus texto antigos que mais gosto e comentarei um pouco sobre cada tema.

AMIGO DE MULHER CABELEREIRO?

Sempre tive mais amigos homens que mulheres e acho meus amigos todos lindos e nenhum deles é cabeleireiro (rs) !
E acho que isso sempre me fez muito bem , embora eu perto deles sou homem, também por que escuto o que devo e o que não devo.
Acho isso muito enriquecedor pois conversamos sobre todos os assunto imagináveis e dependendo do amigo os assunto inimagináveis também!!!
É bem legal saber o lado masculino sem nenhum joguinho!
Mas amo todos eles !

Publiquei post em 02/09/2002 e agora resolvi republicar...

O mais engraçado é que algumas pessoas não entendem que uma declaração como essa pode ser despretensiosa, sem segundas intenções!!!
Mais engraçado ainda é ver como isso assusta as pessoas!!!





julho 10, 2003



O texto abaixo ´de autoria de Debora Böttcher, e vc encontra ela nesses endereços abaixo:

http://www.senhoritad.com.br/ - Senhorita D
http://expressoesletradas.blogspot.com/ - Blog Pessoal
http://crondia.blogspot.com - Crônicas Diárias
http://www.femininoplural.com.br/artemis/ - Fórum de Mulheres Artemis
http://www.historiasescritas.blogger.com.br/ (em recesso)


"No fundo, somos apenas isso: GENTE.
E Gente tem dor de barriga, de cabeça e muitos problemas mesmo. Tem
gripe, fica doente seriamente, sofre acidentes, incidentes, e se recupera - ou não.
Gente morre...
Mas tem muito riso, tem alegria, tem coisas boas pra contar.
Gente é ocupada, trabalha duro, tem contas sem fim pra pagar.
Gente tem perdas, muita ausência, muita saudade. Gente chora...
Gente tem histórias de vida muito parecidas, muito distintas, muito simples, quase iguais... Tem memória, lembranças, sombras...
Gente anda pelo caminho do meio, anda pelo caminho da ponta direita, da ponta esquerda, à margem. Muitas vezes, por nenhum caminho.
Gente procura saídas, encontra entradas, se perde em atalhos.
Gente sente raiva, irritação, grita, se aborrece e perdoa. Compreende... Esquece...
Gente tem medo, tem esperança, tem desejo, sonhos, ambições, buscas infindáveis.
Gente tem desilusão, desencanto, incompreensão. Tem sua única verdade.
Gente tem poesia e palavras duras. Gente mente, ilude, fere, magoa e marca...
Gente trai... Faz intrigas...
Gente escreve sobre assuntos sérios e sobre banalidades.
Gente canta, toca, inventa música ou só ouve.
Gente desenha, pinta, rabisca, estraga tinta e tela e pendura na parede, orgulhosa.
Gente cria e destrói...
Lê o que interessa e o que interessa pouco ou nem tanto. Às vezes, não lê nada...
Gente gosta de muitos, só de alguns, de nenhum, mas vive entre todos.
Gente gosta de animais... Cachorro, papagaio, peixe, tartaruga, gato...
Gente tem virtudes, defeitos, manias, temperamento suave, rude, grosseiro, tranquilo.
Gente tem passado...
Usa batom vermelho, muda a cor dos cabelos, pinta as unhas: Gente é vaidosa.
Às vezes, se tranca no quarto, se tranca em si, não quer mais viver: Gente tem depressão.
Gente seduz, joga charme, envolve... Muda de idéia, se engana...
Gente se une, se separa, abandona, se apaixona, ama, deixa de amar... e ama de novo... Gente recomeça...
Gente é tudo isso e mais um tanto: na simplicidade complexa do ser, Gente somos nós. Que concorda, discorda, deixa passar ou leva tudo a ferro e fogo...
Gente tem um tempo próprio que, eventualmente, não fica em sintonia com o tempo das outras Gentes.
Mas Gente unida tem força... Tem uma contradição que se nivela e dá o tom: cumplicidade...
Sabemos todos falar sério, mas Gente não precisa disso o tempo todo. Pelo contrário: Gente precisa de balanço, feito barco no mar. Afinal, Gente é barco no mar...
Gente precisa de equilíbrio - riso e lágrima, dor e alegria -, pra não enlouquecer, ainda que tenha uma loucura enrustida.
Gente precisa de liberdade... Dos passos, da expressão, do espaço, da alma... Voar permanecendo no mesmo lugar...
Tudo isso... E só isso e muito mais..."

julho 06, 2003

Imagine que você esta à beira mar e você vê um navio partindo.
Você fica olhando, enquanto ele vai se afastando, cada vez mais longe até que finalmente, parece apenas um ponto no horizonte. Lá, onde o mar e o céu se encontram.
E você diz: "Pronto, ele se foi" Foi pra onde?
Foi a um lugar que sua vista não alcança. Só isto. Ele continua tão grande, tão bonito e tão importante como quando estava perto de você. A dimensão diminuída está em você, não nele. E naquele momento em que você está dizendo "Ele se foi", há outros olhos vendo-o aproximar-se e outras vozes exclamam com júbilo: "Ele está voltando"
(Henry Sobel)

Contrastes...

Essa semana foi muito difícil, mas passou voando, os dias foram longos e curtos ao mesmo tempo, mas passou...
Ontem depois vários convites recusados, resolvi ir a um barzinho bem estilo universitário e claro eu meio sem rumo, meio sem graça, nada animada, com 1000 coisas na cabeça e de repente, comecei a encontrar um monte de gente conhecida, antigos amigos de faculdade, antigos "casos" e todos me abordavam com um sorriso no rosto seguido de um grande abraço e cada um contando como estava a vida, começamos a nos lembrar de dos tempos de faculdade, nossas viagens e etc...
Engraçado isso, fiquei pensando nos constastes, nessa tão louca coisa que chamamos de VIDA, amigos, família, trabalho, objetivos traçados, objetivos alcançados, saúde, alegria, tristeza, riso, choro, desejos, amor, solidão, realização, decepção, angustia, ansiedade, defeitos, virtudes, morte,nascimento, sonhos etc...
Um quebra cabeça do qual somos "nós" que moldamos as peças, mas quase nunca sabemos como encaixa-las!
Hoje foi uma dia estranho, mas foi tão linda a missa, claro nos emocionamos, mas é assim....
Tenho um lema, de que o sol nasce todos os dias independente mim ou de qualquer outra pessoa, mesmo em dias nublados e chuvosos, pode procurar que ele está lá, escondidinho mas esta, o que quer dizer que a vida continua e essa é uma só (até q me provem o contrário), mesmo que exista outras vidas eu é que não vou esperar para saber...
Bom... amanhã é segundona e eu estou com a vida atrasada!!!




julho 02, 2003

Uma estrelinha a mais

Reencontro de velhos amigos que a muito não via, não abraçava, apenas tocávamos um e-mail ou outro, um telefonema ou outro, a vida de cada um foi mudando, tomando um rumo, os quilômetros aumentaram para alguns.
Distancias que se encurtaram, não por ser feriado, não por ser final de semana, não por motivo de festa, não pelos nossos carnavais juntos, nossas cachoeiras, nossas noitadas, nossas butecadas, por nenhum desses motivos, mas sim pela partida de um amigo que Deus levou tão cedo, tão jovem, uma pessoa linda por dentro e por fora, talvez o mais carinhoso da turma, estudioso, que adorava esportes, mas que a menos de 15 dias, descobriu estar com leucemia e tudo aconteceu rápido demais.
O que acontece depois que morremos,eu não sei, mas eu sei o que fica e sinceramente, não sei lidar com isso nem um pouco...
As lembranças são mais fortes agora, aquela risada mais gostosa, aquela covinha na bochecha, as historias engraçadas que vivemos juntos, as frias que ele me colocava por conta de suas paqueras(os meninos o chamavam de Bico Doce), meu parceiro de falsa (acreditem em todas as formaturas nós dançamos a falsa juntos), pela paciência de ter um dia inteiro de aulas cansativas na faculdade (cursava engenharia) e ainda assim ter um bom humor e disposição para me ensinar física geral e experimental (se não fosse por ele estaria em dependência até hoje na faculdade), ter a maior boa vontade do mundo quando eu chegava desesperada com um resumo de congresso cheio de termos técnicos de biologia e ele sentava e fazia meu abstract , rindo da minha maluquice, do meu desespero e me dizia que eu não tinha jeito!
Estou aqui entre mmmmmuuuuiiiiiiittttaassssss fotos dos velhos tempos e a cada minuto mesmo com olhos inundados não deixo de soltar uma ou outra risada, só guardo comigo momentos felizes e é assim que o guardarei para sempre, fica na memória e no coração a imagem de um mocinho que em anos jamais vi destratando uma única pessoa se quer, que tinha sempre um sorriso no rosto e um abraço carinhoso!
Hoje não teve fotos, os risos foram medidos e agora falta uma parte...
O céu agora tem uma estrelinha a mais!!!
Estrelinha essa que aqui chamávamos de Paulo, Maranhão, Bico e que estará sempre presente de alguma maneira!!